SUSCETIBILIDADE A MOVIMENTOS DE MASSA NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO TAQUARI/ANTAS

Francisco Monte Alverne de Sales Sampaio, Luís Eduardo de Souza Robaina

Resumo


Movimentos de massa (MM) são processos naturais verificados quase que diariamente em diversas partes do mundo, causando perdas econômicas vultosas e, em muitos casos, ceifando vidas humanas. O mapeamento da suscetibilidade a movimentos de massa contribui de forma direta para o planejamento do uso e da ocupação do solo, controle da expansão urbana, avaliação de cenários potenciais de riscos e, ainda, no âmbito regional, auxilia na elaboração de zoneamentos ecológico-econômicos. Deste modo, este trabalho tem por objetivo o mapeamento das áreas suscetíveis a movimentos de massa na bacia hidrográfica do Rio Taquari-Antas (BHRTA), RS. A metodologia consistiu na aplicação do Analytic Hierarchy Process (Processo Analítico Hierárquico) - AHP, que baseia-se na estruturação de multicritérios de escolha a partir de uma abordagem hierárquica. Para isto, realizou-se a matriz de comparação pareada e o cruzamento de cinco atributos considerados decisivos para a determinação da suscetibilidade a movimentos de massa na BHRTA: i) Modelo Digital de Elevação (MDE); ii) Declividade; iii) Formas das Encostas; iv) Distância de Rodovias Federais e Estaduais, e v) Rios de Primeira Ordem. A partir da matriz de comparação pareada definiu-se que a declividade foi o atributo com maior peso no mapeamento da suscetibilidade a movimentos de massa na BHRTA (0,35), seguido do atributo forma das vertentes (0,27). O atributo distância dos rios de primeira ordem apresentou uma importância de 0,18 e os atributos distância das rodovias e MDE apresentaram uma importância de 0,10 cada. O cruzamento dos planos de informação mostrou que 23% da área total da bacia apresenta suscetibilidade baixa a movimentos de massa, enquanto que, a maior parte da área da bacia (49%) apresenta suscetibilidade média a movimentos de massa. As áreas com risco alto foram verificadas em 10% da área da bacia e 18% da BHRTA não apresentou risco. Assim, conclui-se que as áreas com maior suscetibilidade a movimentos de massa na BHRTA localizam-se nas áreas de encostas do alto e médio Taquari-Antas, e também nos seus afluentes, com destaque para os rios Forqueta e Guaporé.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVIOLI, M. et al. Implications of climate change on landslide hazard in Central Italy. Science of The Total Environment, [s. l.], v. 630, p. 1528–1543, 2018. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0048969718307150. Acesso em: 23 mai. 2019.

BITAR, O. Y. Cartas de suscetibilidade a movimentos gravitacionais de massa e inundações. Brasília, 2014.

BRABB, E. Innovative Approaches for Landslide Hazard Evaluation. In: Iv International Symposium on Landslides 1984, Toronto. Anais... Toronto, 1984.

BRASIL. Mapeamento de riscos em encostas e margens de riosMinistério das Cidades, Instituto de Pesquisas Tecnológicas – IPT. Brasilia. 2011. Disponível em: http://www.cidades.gov.br/acessibilidade-e-programas-urbanos/acoes-e-programas-snapu/prevencao-de-riscos/136-secretaria-nacional-de-programas-urbanos/prevencao-e-erradicacao-de-riscos/1855-material-basico-para-o-mapeamento-e-gerenciamento-de-areas-de-risc. Acesso em: 22 mai. 2019.

CEPED. Atlas brasileiro de desastres naturais: 1991 a 2012. 2. ed. Florianópolis: CEPED UFSC, 2013. Disponível em: https://s2id.mi.gov.br/paginas/atlas/. Acesso em: 23 mai. 2019.

DIETRICH, W. E. et al. A validation study of the shallow slope stability model, SHALSTAB, in forested lands of Northern California. [s.l: s.n.]. 1998. Disponível em: http://www.krisweb.com/krisrussian/krisdb/html/krisweb/biblio/gen_ucb_dietrichetal_1998_shalstab.pdf. Acesso em: 6 mar. 2019.

DONASSOLLO, A. Movimentos de massa em rodovias utilizando o método Analytic Hierarchy Process ( AHP ). Estudo de caso : Rodovia rs-115 , Taquara – Gramado , RS . 2017. Dissertação (Mestrado Profissional em Engenharia Geotécnica) - Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2017.

EM-DAT. The international disasters database. 2018. Disponível em: https://www.emdat.be/index.php. Acesso em: 23 maio. 2019.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Sumula da X reunião técnica de levantamento de solos. Rio de Janeiro. 1979.

FARR, T. G. et al. The Shuttle Radar Topography Mission. Reviews of Geophysics, [s. l.], v. 45, n. 2, p. RG2004, 2007. Disponível em: http://doi.wiley.com/10.1029/2005RG000183. Acesso em: 11 jun. 2019.

FEPAM. Rio Taquari-Antas. 2015. Disponível em: http://www.fepam.rs.gov.br/qualidade/taquariantas.asp. Acesso em: 9 maio. 2018.

FERNANDES, N. F. et al. Condicionantes Geomorfológicos dos Deslizamentos nas Encostas : Avaliação de Metodologias e Aplicação de Modelo de Previsão de Áreas Susceptíveis. Revista Brasileira de Geomorfologia, [s. l.], v. 2, n. 1, p. 51–71, 2001. Disponível em: http://www.lsie.unb.br/rbg/index.php/rbg/article/view/8. Acesso em: 17 mai. 2018.

FLORES, T. Modelagem e análise das áreas suscetíveis a movimentos de massa na bacia do rio Fão, a partir de redes neurais artificiais. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Ambiental) - Centro Universitário Univates, Lajeado, 2018.

FROUDE, M. J.; PETLEY, D. N. Global fatal landslide occurrence from 2004 to 2016. Natural Hazards and Earth System Sciences, [s. l.], v. 18, n. 8, p. 2161–2181, 2018.

GOMEZ, S. T. R.; FILHO, L. C. P. da S.; PASSUELLO, A. C. Estimativa das cargas de efluentes industriais na bacia hidrográfica Taquari-Antas. Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul, [s. l.], n. 29, p. 94–117, 2017.

GUERRA, A. J. T.; JORGE, M. do C. O. Processos erosivos e recuperação de áreas degradadas. São Paulo: Bertrand, 2013.

HUANG, Y.; ZHAO, L. Review on landslide susceptibility mapping using support vector machines. Catena, [s. l.], v. 165, n. March, p. 520–529, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.catena.2018.03.003. Acesso em: 9 maio. 2018.

KOBIYAMA, M. et al. Prevenção de desastres naturais: conceitos básicos. Ed. Organi ed. Curitiba. 2010. Disponível em: http://www.labclima.ufsc.br/files/2010/04/Livro_Prevencao_de_Desastres_Naturais.pdf. Acesso em: 22 mai. 2019.

MARCELINO, E. V.; NUNES, L. H.; KOBIYAMA, M. Mapeamento De Risco De Desastres Naturais Do Estado De Santa Catarina. Caminhos de Geografia, [s. l.], v. 7, n. 17, p. 72–84, 2006. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15273/8574 Acesso em: 22 mai. 2019.

MORGAN, R. P. C. Erosion and Conservation. 3. ed. Oxford: Blackwell Plublishing, 2005.

O’CONNOR, M.; PERRY, C.; MCDAVITT, W. Sediment Yield From First-Order Streams in Managed Redwood Forests: Effects of Recent Harvests and Legacy Management Practices 1. Delaware. 2007. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/eff1/87289cb3d4f94a5abda7281e19d7ea1b930a.pdf. Acesso em: 11 jun. 2019.

OLIVEIRA, G. G. et al. Identificação e análise de áreas suscetíveis a fluxos de detritos na bacia hidrográfica do Rio Taquari-Antas, RS. Pesquisas em Geociências, [s. l.], v. 45, p. 1–25, 2018.

OLIVEIRA, G. G. et al. Interpretação e mapeamento geomorfológico da bacia hidrográfica do rio Taquari- Antas, com suporte de técnicas de geoprocessamento e utilização de dados orbitais e cartográficos. In: (INPE, Ed.)ANAIS XVII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO 2013, Foz do Iguaçu. Anais... Foz do Iguaçu, 2013. Disponível em: http://www.dsr.inpe.br/sbsr2015/files/p1404.pdf. Acesso em: 14 mai. 2018.

PARIZZI, M. G. et al. Correlações entre chuvas e movimentos de massa no município de Belo Horizonte, MG. Geografias, [s. l.], v. 06, n. 2, p. 49–68, 2010.

PINTO, R.; PASSOS, E.; CANEPARO, S. Mapeamento de suscetibilidade aos movimentos de massa com uso da Avaliação Multicritério pelo método da Média Ponderada Ordenada / Mapping of susceptibility to mass movements using the - DOI 10.5752/P.2318-2962.2015v25n43p116. Caderno de Geografia, [s. l.], v. 25, n. 43, p. 116–143, 2015. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/geografia/article/view/8276. Acesso em: 22 mai. 2019.

RIFFEL, E. S.; GUASSELLI, L. A.; BRESSANI, L. A. Desastres associados a movimentos de massa: Uma revisão de literatura. Bol. Goia. Geogr. (Online), [s. l.], v. 36, n. 2, p. 285–306, 2016. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/viewFile/42796/21417. Acesso em: 22 mai. 2019.

RIO GRANDE DO SUL. Bacia Hidrográfica do Rio Taquari-Antas. 2013. Disponível em: http://www.sema.rs.gov.br/g040-bacia-hidrografica-do-rio-taquari-antas. Acesso em: 9 maio. 2018.

ROBAINA, L. E. D. S. et al. Análise espaço-temporal das ocorrências de inundações e movimentos de massa no município de Caxias do Sul , RS. Ciência e Natura, [s. l.], v. 32, n. 1, p. 159–172, 2010.

RODRÍGUEZ, E.; MORRIS, C. S.; BELZ, J. E. A Global Assessment of the SRTM Performance. Photogrammetric Engineering & Remote Sensing, [s. l.], v. 72, n. 3, p. 249–260, 2006. Disponível em: http://openurl.ingenta.com/content/xref?genre=article&issn=0099-1112&volume=72&issue=3&spage=249. Acesso em: 11 jun. 2019.

SAATY, R. W. The analytic hierarchy process—what it is and how it is used. Mathematical Modelling, [s. l.], v. 9, n. 3–5, p. 161–176, 1987. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/0270025587904738. Acesso em: 17 mai. 2018.

SAATY, T. Método de Análise Hierárquica. Rio de Janeiro: Makron books, 1991.

SANTOS, D. M. Zoneamento das áreas sucetíveis a movimentos de massa, enxurradas e inundações no município de Marques de Souza, RS. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Ambiental) - Centro Universitário Univates, Lajeado, 2015. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/51328839.pdf. Acesso em: 22 mai. 2019.

SCOPEL, R. M.; TEIXEIRA, E. C.; BINOTTO, R. B. Caracterização hidrogeoquímica de água subterrânea em área de influência de futuras instalações de usinas hidrelétricas: bacia hidrográfica do rio Taquari-Antas/RS, Brasil. Química Nova, [s. l.], v. 28, n. 3, p. 383–392, 2005. Disponível em: . Acesso em: 14 maio. 2018.

SEMA - Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Rio Grande do Sul. Bacia Hidrográfica do Rio Taquari-Antas. 2012. Disponível em: http://www.sema.rs.gov.br/g040-bacia-hidrografica-do-rio-taquari-antas. Acesso em: 14 maio. 2018.

SHAHABI, H.; HASHIM, M. Landslide susceptibility mapping using GIS-based statistical models and Remote sensing data in tropical environment. Scientific Reports, [s. l.], v. 5, p. 1–15, 2015.

VANACÔR, R. R. N.; ROLIM, S. S. B. A. Mapeamento Da Suscetibilidade a Deslizamentos Usando Técnicas De Estatística Bivariada E Sistema De Informações Geográficas Na Região Nordeste Do Rio Grande Do Sul. Revista Brasileira de Geomorfologia, [s. l.], v. 13, p. 15–28, 2012. Disponível em: http://www.lsie.unb.br/rbg/index.php/rbg/article/view/338. Acesso em: 22 mai. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Francisco Monte Alverne de Sales Sampaio, Luís Eduardo de Souza Robaina

| Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul | Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão - RS | ISSN 2446-7251 |