IIRSA-COSIPLAN E O COMPLEXO HIDRELÉTRICO DE GARABI-PANAMBI NO TERRITÓRIO HISTÓRICO MISSIONEIRO

Ludmila Losada da Fonseca, Aldomar Arnaldo Rückert

Resumo


A Iniciativa para a Integração de Infraestruturas Sul-americanas (IIRSA) surge nos anos 2000, liderada pelo governo brasileiro com vistas de suprir as demandas e a falta de investimento em infraestruturas. A IIRSA passa, no ano de 2010, a pertencer ao Conselho de Infraestrutura e Planejamento (COSIPLAN) da UNASUL. A referida iniciativa inseriu em sua carteira de projetos antigas propostas que ficaram estagnadas ao longo do tempo, sendo uma delas a construção de duas barragens no rio Uruguai, na fronteira ente Brasil e Argentina, cujo projeto, atualmente, denomina-se Complexo Hidrelétrico de Garabi-Panambi. A implementação de Garabi e de Panambi, ainda não iniciadas, desde já, geram repercussões nos municípios sede, já identificadas pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e pelos prefeitos dos municípios sede. Nesta inserção do IIRSACOSIPLAN através do projeto do Complexo Hidrelétrico no território histórico missioneiro percebe-se a imposição de um projeto de interesse nacional, em razão da ausência de diálogo entre prefeituras e o Estado, bem como da ausência de diálogo com a sociedade civil.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Ludmila Losada da Fonseca, Aldomar Arnaldo Rückert

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

| Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul | ISSN 2446-7251 |