DIMENSÕES ESPAÇOTEMPORAIS DOS HOMICÍDIOS NA CIDADE DE PELOTAS – 2012-2015

Erika Collischonn, Douglas Gonçalves da Silva, Juscelino Vieira da Cunha

Resumo


O trabalho que aqui se apresenta buscou avaliar de que forma o Geoprocessamento pode contribuir para compreender a relação entre crimes de Homicídios e de Tráfico de Entorpecentes na cidade de Pelotas, no período de 2012 a 2015. Como base de dados para as análises temporal e espacial foram usados os boletins de ocorrência da Brigada Militar. Os pontos de localização dos crimes foram definidos com base nos endereços constantes no boletim de ocorrência e posteriormente importados como feições de pontos em projeto no programa QGIS, conforme o número da ocorrência. Neste projeto já havia outros planos de informação, contendo atributos sócio econômicos e infra estruturais sobre a cidade. Com base nos dados constatou-se a concentração de homicídios em algumas áreas da cidade e também a relação com aspectos que a literatura de análise da violência e criminalidade urbana vem debatendo. A análise espacial, que apontou concentrações de ocorrências de homicídios na cidade, mostra claramente quais áreas e suas vizinhanças devem ser objeto de políticas públicas que devem ir além de medidas controle da oferta de drogas (repressão) e medidas de controle do consumo (prevenção), ou seja, que devem envolver outros órgãos e agências que não apenas a polícia. 


Texto completo:

PDF

Referências


BEATO FILHO, C. C; ASSUNÇÃO, R. M; SILVA, B. F. A.; MARINHO, F. C.; REIS, I. A.; ALMEIDA, M. C. M. Conglomerados de homicídios e o tráfico de drogas em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, de 1995 a 1999. Caderno de Saúde Pública, ano 17, n° 5, set-out, 2001. p. 1163-1171.

BEATO FILHO, C. C; ASSUNÇÃO, Renato. M. Sistemas de Informação Georreferenciados em Segurança. In: BEATO FILHO, C. C. (org.). Compreendendo e avaliando: projetos de segurança pública. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008. 219 p.

DATASEG – Base de dados da Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Sul –Disponível em: Acesso em mai. 2016.

FEE/RS. Perfil socioeconômico dos municípios do Rio Grande do Sul. Disponível em Acesso em 23 de maio de 2015.

FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA. Estimativas Populacionais — Revisão 2015. Disponível em: http://www.fee.rs.gov.br/indicadores/populacao/estimativas-populacionais/. Acesso em 03 mar. 2016.

IBGE. Censo demográfico 2010. Disponível em Acesso em jun.2016.

PEREIRA, T. C. Os efeitos invisíveis do planejamento urbano na cidade corporativa: quando a revitalização do centro reforça a blindagem da periferia. In: III ENANPARQ - Arquitetura, cidade e projeto: uma construção coletiva. São Paulo: 2014. p. 1-13. Disponível em < http://www.anparq.org.br/dvd-enanparq-3/htm/Artigos/ST/ST-EPC-007-4-PEREIRA.pdf> Acesso em jun. 2016.

SANTOS, M. A Urbanização Brasileira. 3 Edição. São Paulo, Editora Hucitec, 1996. 176p.

SILVA NETO, M. G. Espacialização de ocorrências policiais atendidas pela Polícia Militar, no centro-sul da cidade de Pelotas, no período de janeiro a dezembro 2010. 2011. 68 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geografia), Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2011.

VIEIRA, S. G. A cidade fragmentada. Pelotas: Editora da UFPel, 2005.

WAISELFISZ, J. J. Mapa da violência 2015 - Mortes Matadas por Armas de Fogo. Secretaria Geral da Presidência da República/Secretaria Nacional de Juventude/Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Brasília, 2015 Disponível em http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2015/mapaViolencia2015.pdf. Acesso em jun 2016.

ZIEGLER, J. Os senhores do crime – as novas máfias contra a democracia. Rio de Janeiro: Record, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

| Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul | ISSN 2446-7251 |