ESTIMATIVA DAS CARGAS DE EFLUENTES INDUSTRIAIS NA BACIA HIDROGRÁFICA TAQUARI-ANTAS

Sandra Tatiana Reyes Gomez, Luiz Carlos Pinto da Silva Filho, Alexandra Cruz Passuello

Resumo


Os recursos hídricos representam, para a sociedade e o ambiente, um papel de suma importância. Em termos de sociedade relacionamos os múltiplos usos que se fazem destes, sem esquecer que o principal uso é para o consumo e abastecimento das necessidades primárias. Já, em termos de meio ambiente, sabemos que são os pilares para o suporte e desenvolvimento da biodiversidade e produção de biomassa na terra. A destinação dos resíduos industriais é uma preocupação na atualidade, e mesmo as indústrias sendo obrigadas a tratar seus resíduos antes de despejá-los nos corpos hídricos, não o estão executando com eficiência. Uma das razões que levam a esta situação é a falta de conhecimento dos efeitos que seus resíduos podem ocasionar, deixando-os em um segundo plano, outra razão é o orçamento elevado que se requer para investir em uma estação de tratamento de efluentes, considerando não somente a construção, mas também a demanda que exige a sua manutenção. A ideia parte do pressuposto de que é difícil acessar as informações referentes aos efluentes industriais gerados, sendo muitas vezes desconhecida a atividade industrial presente. Indo ao encontro da busca de soluções para esta problemática se realizou uma estimativa da carga de potencial poluidor dos efluentes industriais, tendo como área de estudo a bacia hidrográfica Taquari-Antas. Um total de 393 indústrias foram classificadas em 24 setores. O potencial poluidor de Metais da Água (MA), Tóxicos da Água (TA), Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) e Sólidos em Suspensão Totais (SST) para o meio aquático foi estimado através da metodologia The Industrial Pollution Projection System (IPPS).


Texto completo:

PDF

Referências


COLLISCHONN, W., 2001. Simulação hidrológica de grandes bacias. Tese de Doutorado.Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

COMISSÃO NACIONAL DE CLASSIFICAÇÃO. Atividades econômicas. Disponível em: < http://concla.ibge.gov.br/classificacoes/por-tema/atividades-economicas>. Acesso em: 11 de abril de 2016.

DRH/SEMA. Relatório Anual Sobre a Situação dos Recursos Hídricos no Estado do Rio Grande do Sul. Secretaria Estadual do Meio Ambiente, RS. Disponível em . Acesso em: 24 de abril de 2016.

FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATISTICA. COREDES. Disponível em: . Acesso em: 18 de fevereiro de 2016.

FUNDAÇÃO ESTADUAL DE PROTEÇÃO AMBIENTAL (FEPAM). Qualidade das águas da bacia do rio das antas e rio taquari. Disponível em: . Acesso em 11 de abril de 2016.

HETTIGE, H.; MARTIN, P.; SINGH, M.; WHEELER, D. The Industrial Pollution Projection System. World Bank Policy Research Working Paper No. 1431,1995

OLEWILER, N. D.; DAWSON, K. Analysis of national pollutant release inventory data on toxic emissions by industry. Technical Committee on Business Taxation, 1998.

TUCCI, C. E. M.; BENETTI, A., Identificação Preliminar de Áreas Críticas de Qualidade da Água Decorrentes da Implantação de Hidrelétricas na Bacia dos Rios Taquari-Antas – Relatório Final. Fundação Estadual de Proteção ao Meio-Ambiente, Fepam, RS, 2001.

VEIGA, P. M., Evidências sobre as Relações entre Comércio e Meio Ambiente no Brasil. Revista Brasileira de Comércio Exterior, n.41, 1994.

VON SPERLING, M. Princípios do Tratamento Biológico de Águas Residuárias. Ed. SEGRAC: Belo Horizonte, 1995

YOUNG, C. E. F., Abertura Comercial, Competitividade e Poluição: o comportamento da indústria brasileira (Relat. de pesquisa). CNPq, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

| Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul | ISSN 2446-7251 |