EXPANSÃO DA POPULAÇÃO ASIÁTICA NO BRASIL E NO RIO GRANDE DO SUL (2000 – 2010)

Gisele da Silva Ferreira

Resumo


O Censo Demográfico do IBGE revelou que, enquanto a população brasileira cresceu 12,3% e a gaúcha 5,0% na década de 2000, a população de origem asiática registrou um crescimento de 176,4% no país e 267,5% no Rio Grande do Sul no mesmo período. Foram investigadas as possíveis origens desse elevado crescimento, como mudanças no padrão de resposta dos Censos Demográficos e grandes acontecimentos da economia global. Como um dos principais fatores para esse crescimento, foi identificado o efeito da globalização no Século XXI, que fez com que muitos migrantes brasileiros retornassem ao Brasil com suas famílias após a crise econômica mundial de 2008. O presente estudo tem por objetivo apresentar as características demográficas e socioeconômicas da população de origem asiática no Rio Grande do Sul analisando dados de 2000 e 2010 e refletir sobre as mudanças ocorridas em seu perfil ao longo da década.


Texto completo:

PDF

Referências


BELTRÃO, K. I.; SUGAHARA, S; KONTA, R. Trabalhando no Brasil: características da população de origem japonesa segundo os censos entre 1980 e 2000. Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 2006.

BELTRÃO, K. I.; SUGAHARA, S.; TEIXEIRA, M. P. FILHO DE PEIXE..: declaração de cor/raça dos filhos de casamentos mistos. XVI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP. Caxambu, 2008.

BOTEGA, T.; CAVALCANTI, L.; OLIVEIRA, A. T. (Orgs.). Migrações Internacionais de Retorno no Brasil. Brasília: Relatório, 2015.

BURKE, P. Hibridismo cultural. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2003.

CANUTO, O. A crise asiática e seus desdobramentos. Econômica, v. 2, n. 4, p. 25-60, 2000.

Consulado Geral do Japão em São Paulo. Disponível em: http://www.sp.br.emb-japan.go.jp/pt/comunidade/historico.htm Acesso em 31 de maio de 2015.

DIAS, T. S. A Expansão da ocupação urbana sobre o relevo do município de Porto Alegre–RS. Monografia (Graduação em Geografia) – Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2011.

HERÉDIA, V. A imigração européia no século XIX: o Programa de Colonização no Rio Grande do Sul. Scripta Nova: revista electrónica de geografía y cienciassociales, n. 5, p. 10, 2001.

MAMMARELLA, R.; PESSOA, M. L.; FERREIRA, G. DA S.; TARTARUGA, I. G. P. Estrutura Social e Organização Social do Território: Região Metropolitana de Porto Alegre – 1980-2010. In: FEDOZZI, L., SOARES, P.R.R. (Editores). Porto Alegre: Transformações na ordem urbana. Rio de Janeiro, Observatório das Metrópoles; Letra Capital, 2015. p.133-185.

OLIVEIRA, H. A. A crise Asiática e a China. Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (IEA/USP). São Paulo, 1999.

SALAMONI, G. A imigração alemã no Rio Grande do Sul: o caso da comunidade pomerana de Pelotas. História em Revista, Pelotas, v. 7, n. 1, p. 25-42, 2001.

SEN, A. A economia da vida e da morte. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, n. 23, p. 138-145, 1993.

USARSKI, F. Declínio do budismo “amarelo” no Brasil. Tempo Social, revista de sociologia da USP, v. 20, n. 2, p. 134, 2008.

WANG, R. O Problema da Demografia Chinesa. Universidade Técnica de Lisboa. Lisboa, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016



| Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul | ISSN 2446-7251 |