SUBSÍDIOS AO ZONEAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL

Sidnei Luís Bohn Gass, Roberto Verdum

Resumo


Discute-se no artigo a instituição do Zoneamento Ambiental como instrumento das políticas de gestão territorial no Brasil, buscando apresentar elementos que possam subsidiar sua elaboração para o Estado do Rio Grande do Sul. O ponto de partida são os instrumentos legais e as definições teórico-conceituais disponíveis, a partir das quais se estabelece os principais elementos que devem estar presentes na elaboração do zoneamento. A partir da análise de diferentes estudos acadêmicos e trabalhos técnicos disponíveis sobre o Estado do Rio Grande do Sul, define-se como elementos prioritários a serem considerados: 1) as Unidades da Paisagem Natural definidas para o licenciamento ambiental da silvicultura, por considerarem elementos da geologia, da geomorfologia, da vegetação potencial original e dos solos; 2) o mapeamento da geodiversidade, por ser um estudo dos elementos geológicos que originam as diferentes paisagens de um território e 3) a delimitação das bacias hidrográficas de acordo com os comitês de gerenciamento. A partir das análises realizadas é possível inferir que o arcabouço institucional público e acadêmico deve ser conclamado a integrar uma força-tarefa para integrar todas as informações disponíveis. A partir deste esforço será possível definir quais os rumos a serem tomados e quais os reais investimentos necessários para a elaboração do Zoneamento Ambiental do RS.


Texto completo:

PDF

Referências


AB'SABER, A. N. Zoneamento ecológico e econômico da Amazônia: questões de escala e método. Estud. av.[online]. 1989, vol.3, n.5, pp. 4-20.

AB’SABER, A. N, Os domínios da natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

AB’SABER, A. N, Brasil: paisagens de exceção. São Paulo: Ateliê Editorial, 2006.

AB'SABER, A. N. Zoneamento fisiográfico e ecológico do espaço total da Amazônia Brasileira. Estud. av.[online]. 2010, vol.24, n.68, pp. 15-24.

ANDRADE, M. C. Territorialidades, desterritorialidades, novas territorialidades: os limites do poder nacional e do poder local. In: Território-globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec, 1996.

BRASIL. Lei n. 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Poder executivo, Brasília, 02 de setembro de 1981.

BRASIL. Decreto n. 4.297, de 10 de julho de 2002. Regulamenta o art. 9º, inciso II, da Lei no 6.938, de 31 de agosto de 1981, estabelecendo critérios para o Zoneamento Ecológico-Econômico do Brasil - ZEE, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Poder executivo, Brasília, 11 de julho de 2002.

BRASIL. Decreto n. 6.288, de 6 de dezembro de 2007. Dá nova redação ao art. 6º, e acresce os arts. 6-A, 6-B, 6-C, 13-A e 21-A ao Decreto nº 4.297, de 10 de julho de 2002. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, 7 de dezembro de 2007.

BRASIL. Lei n. 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; [...]; e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, 28 de maio de 2012, 2012.

CARGNIN, A. P. Políticas de desenvolvimento regional no Rio Grande do Sul: vestígios, marcos e repercussões territoriais. Brasília: Ministério da Integração Nacional, 2014.

CORDEIRO, J. L. P.; HASENACK, H. Cobertura vegetal atual do Rio Grande do Sul. In: PILLAR, V. de P.; MÜLLER, S. C.; CASTILHOS, Z. M. de S.; JACQUES, A. V. Á. (Org.). Campos sulinos: conservação e uso sustentável da biodiversidade. Brasília: MMA, 2009, p. 285-299.

CPRM. Mapa geodiversidade do Brasil: escala 1:2.500.000. Legenda expandida. Brasília: CPRM, 2006. CD-ROM.

CPRM. Mapa geodiversidade do estado do Rio Grande do Sul: escala 1:750.000. Porto Alegre: CPRM, 2009.

ESCOBAR, I. P.; OLIVEIRA, S. A. M.; LIMA, S. P. S.; PRADO, R. L. Reprocessamento digital das imagens SLAR geradas pelos projetos RADAM e RADAMBRASIL - projeto RADAM-D. In: Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR), 12., 2005, Goiânia. Anais... São José dos Campos: INPE, 2005. p. 4395-4397. Disponível em: . Acesso em: 31 jan. 2015.

FEPAM. Zoneamento ambiental para atividade de silvicultura. Volume I. Porto Alegre: Governo do Estado do Rio Grande do Sul, SEMA, FEPAM, 2007.

FEPAM. Zoneamento ambiental da silvicultura: diretrizes da silvicultura por unidade da paisagem e bacia hidrográfica. Volume II. Porto Alegre: Governo do Estado do Rio Grande do Sul, SEMA, FEPAM, 2010a.

FEPAM. Zoneamento ambiental da silvicultura: estrutura, metodologia e resultados. Volume I. Porto Alegre: Governo do Estado do Rio Grande do Sul, SEMA, FEPAM, 2010b.

FERRARO, L. M. W. Metodologia de delimitação das Unidades da Paisagem Natural para o zoneamento ambiental da silvicultura no estado do RS. Entrevista. Porto Alegre. 12 de mar. 2015.

GASS, S. L. B. Zoneamento ambiental como subsídio para a definição das Áreas de Preservação Permanente. Tese (doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Geociências. Programa de Pós-Graduação em Geografia. Porto Alegre, RS, 2015.

GUASSELLI, L. A.; SALDANHA, D. L.; SUERTEGARAY, D. M. A.; DUCATI, J. R.; FONTANA, D. C. Macrozoneamento do estado do Rio Grande do Sul. In: Pesquisa em Geociências. Porto Alegre, RS, v. 33, n. 1, p. 3-11, 2006.

HASENACK, H. (Coord.) PROBIO cobertura vegetal do bioma Pampa: relatório técnico. Porto Alegre: Lab. Geo / Centro de Ecologia / UFRGS, 2007.

HASENACK, H.; WEBER, E. (org.) Base cartográfica vetorial continua do Rio Grande do Sul – escala 1:50.000. Porto Alegre: UFRGS-IB-Centro de Ecologia, 2010.

IBGE. Rio Grande do Sul: uso e cobertura da terra. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Mapa. Escala 1:100.000.

INCRA. OEA/IICA. ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Capacidade de uso dos solos. Porto Alegre: INCRA, OEA/IICA, Estado do Rio Grande do Sul, 1972. Mapa. Escala 1:750.000.

MMA. Programa Zoneamento Ecológico-Econômico: diretrizes metodológicas para o Zoneamento Ecológico-Econômico do Brasil. Brasília: MMA/SDS, 2001.

MESQUITA, Z. P. Divisões regionais do Rio Grande do Sul: uma revisão. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 5, n. 2, 1984, pp 95-146. Disponível em http://revistas.fee.tche.br/index.php/ensaios/article/view/462/696. Acesso em 13 jan. 2016.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Macrozoneamento agroecológico e econômico do Estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria de Agricultura e Abastecimento, Embrapa-Trigo, 1994.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Planejamento. Atlas socioeconômico do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Seplan, 2013. Disponível em http://www.atlassocioeconomico.rs.gov.br/. Acessado em 13 jan. 2016.

ROSS, J. L. S. Ecogeografia do Brasil: subsídios para planejamento ambiental. São Paulo: Oficina de Textos, 2009.

ROSSATO, M. S. Os climas do Rio Grande do Sul: variabilidade, tendências e tipologia. Tese (doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Geociências. Programa de Pós-Graduação em Geografia. Porto Alegre, RS, 2011.

SEMA. Limites das bacias hidrográficas do RS para uso em SIG. Porto Alegre: SEMA, 2010. Disponível em http://www.sema.rs.gov.br/. Acessado em 15 de jan. de 2016.

SEMA. Assinado contrato para nova cartografia do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: SEMA, 2014. Disponível em http://www.sema.rs.gov.br/conteudo.asp?cod_menu=4&cod_conteudo=8917. Acessado em 13 jan. 2016.

SUERTEGARAY, D. M. A. Espaço geográfico uno e múltiplo. In: SUERTEGARAY, D. M. A.; BASSO, L. A.; VERDUM, R. (orgs.) Ambiente e lugar no urbano – a grande Porto Alegre. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2000, p. 13-34.

SUERTEGARAY, D. M. A. Notas sobre epistemologia da Geografia. Cadernos Geográficos, Florianópolis, 12, 2005, pp. 1-63.

VIERO, A. C.; SILVA, D. R. A. da (org.) Geodiversidade do Estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: CPRM, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016

| Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul | Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão - RS | ISSN 2446-7251 |